Quem sou

lu_por_marcelo_andrade-1

Luciana Zenti

Idealizadora do Projeto Parto Delas

A apresentação curta

Sou fotógrafa e jornalista. Tenho dois filhos lindos, que vieram ao mundo de parto normal com muito amor e respeito. Amo a gestação e as emoções que fazem parte do nascimento. Por isso, tenho me dedicado a fotografar e eternizar o dia que vai estar no primeiro capítulo da história das famílias. Fazer parte desse momento é uma grande responsabilidade e também um privilégio. Envolve entrega de corpo e alma, respeito pelo casal, por todos os profissionais envolvidos e, principalmente, pelo novo ser que está chegando ao mundo.
Em 2017, fui vencedora do concurso internacional de fotografia de parto Elevate Image Competition, realizado nos Estados Unidos. Além do primeiro lugar na categoria Trabalho de Parto, recebi uma distinção pela foto premiada.

 

A apresentação longa (e mais legal!)

Sou fotógrafa e jornalista. Não necessariamente nessa ordem. Depois de uma vida inteira dedicada às palavras, descobri na fotografia uma poderosa ferramenta de disseminação de informação. Que, afinal de contas, é a essência de toda minha trajetória profissional.

Depois de me dedicar por muitos anos às áreas de educação e sustentabilidade como jornalista, em 2014 dei uma virada na minha vida e mergulhei na fotografia de parto humanizado. Eu gosto é de gente. E gente, na hora do parto, é mais gente do que jamais será em qualquer outro momento da vida. Confesso que sempre tive a terrível mania de procurar sentido e propósito em tudo. Foi assim que me descobri, além de fotógrafa, uma ativista do parto humanizado. Eu não levanto bandeiras, eu levanto imagens. Acredito que as fotos de um parto respeitoso podem contribuir para mudar a realidade obstétrica no Brasil, que ainda insiste em tirar da mulher seu papel de protagonista.

Não tenho dúvidas de que a fotografia é um instrumento social e político. Foi por isso que, em paralelo ao meu trabalho comercial de fotografia, escolhi desenvolver um projeto autoral em maternidades públicas comprometidas com o parto humanizado. Se queremos defender o parto humanizado, não podemos deixar de falar na massa de mulheres que é atendida todos os dias no SUS. Assim nasceu o Projeto Parto Delas, trabalho para o qual entrego toda a minha alma. A ideia é dar luz às iniciativas de sucesso na saúde pública para fortalecer o parto no SUS, inspirar outras maternidades e sensibilizar nossos governantes. Não por acaso o símbolo do projeto é um dente-de-leão. Eu acredito que bons exemplos na saúde pública devem ser como essa florzinha, que criança gosta de assoprar para ver voando as sementinhas. Há sementes que merecem, e muito, ser assopradas.

E como começou toda esta história? Ah! Isso é tudo culpa (ou mérito) da Alice e do Gabriel, minha herança para o mundo que eu quero ajudar a construir. Minha vida virou de ponta cabeça depois que eles nasceram. O parto deles me transformou como mulher e me levou a escolher o caminho que estou trilhando hoje. A fotografia, de certa forma, me ajuda a retribuir ao Universo todos os aprendizados que tive ao parir essas duas crianças lindas.

Faltou falar da minha formação em fotografia? Em 2015, participei do Workshop de Fotografia de Parto Humanizado da empresa Além D´Olhar, referência em fotografia de nascimento no Brasil. Em 2016, realizei o curso de imersão A Arte da Parteria, com Naoli Vinaver. Também sou certificada como doula pelo Gama (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa).

Em 2017, fui vencedora do concurso internacional de fotografia de parto Elevate Image Competition, realizado nos Estados Unidos. Além do primeiro lugar na categoria Trabalho de Parto, recebi uma distinção pela foto premiada.

Hoje faço parte de uma rede nacional de fotógrafos de parto que tem o compromisso de disseminar informação de qualidade a respeito do parto humanizado. Acreditamos que a fotografia de nascimento é capaz de transformar o mundo. Sim, a gente sonha grande.

Essa é a parte técnica. Mas nem de longe está na caixinha da razão a essência do meu trabalho com a fotografia de parto. Meu caminho passa pelo labirinto da emoção, que se revela em cada imagem, em cada trabalho, em cada instante congelado no tempo. Afinal, no fim da trilha a gente descobre que a fotografia de parto é simplesmente um imenso e incondicional amor pela vida. E isso não é pouca coisa.